Amores Oblíquos – MVB



MVB

Vencedor do prêmio ALB/Braskem 2012, essa coletânea de contos versa sobre as venturas e desventuras do amor, desde os mais tenros, como no conto de abertura, onde um menino revela uma paixão platônica por uma garota mais velha (tendo os sisudos tempos da ditadura como pano de fundo), até aqueles de densidade mais erótica ou dramática. A prosa de Balbino é marcada pelo lirismo agudo, deixando claro sua vocação primeira de poeta. A narrativa é bastante introspectiva, na qual os efeitos da paixão ganham a dianteira e protagonizam as histórias, que se passam, na maior parte, na cabeça dos personagens. A poética carregada do texto suaviza alguns temas mais caros, como a solidão da velhice, por exemplo: “O que resta a um velho homem solteiro, cuja peregrinação já foi limitada pelas parcas, a não ser ecos da palavra? Sei que esta me continuará, dando-me vida após a morte. E é através dessa mesma palavra que há o que ser dito, e minhas mãos hesitam, não sabendo como iniciar”. Os contos se mostram coesos e marcados por um estilo bem definido, o que determina que o autor, apesar de estreante em prosa, tem potencial para marcar posição de destaque na atual literatura brasileira.